HOME

Custos Na Compra De Imóveis

Equipe ALM / ALE      quarta-feira, 27 de junho de 2018

Compartilhe esta página com seus amigos

Voce sabe exatamente quais os custos envolvidos na compra de um imóvel?

Conheça agora os custos diretos e indiretos na compra de um imóvel, que pode te dar muita dor de cabeça se não estiver se preparar.

Certamente poucos são os compradores ou futuros compradores que sabem quais são todos os custos envolvidos em uma negociação, seja na compra, durante os pagamentos e após receber o imóvel.

Em meu trabalho, não apenas como corretor, mas também como gerente sempre fiz questão de informar ao cliente quais os custos envolvidos e quanto ele teria de desembolsar dependendo do tipo de imóvel, da forma de compra e mesmo da situação do imóvel (pronto, obra ou planta).

Escutei de vários o seguinte:  “outro corretor disse que não irá cobrar mais nada além deste valor, terminei de pagar o imóvel é meu”.....oras, oras...todos nós sabemos que a conversa entre duas pessoas poderá ter duas versões de um fato, entretanto apenas uma verdade.

A verdade é que o outro corretor fala a verdade, mas apenas em parte, está correto que nem ele, corretor, nem a imobiliária ou até mesmo a construtora tem algo a receber além do que está pactuado no contrato.

Mas de acordo com o código de ética do CRECI (Conselho Regional dos Corretores de Imóveis) é dever do corretor dar TODAS as informações pertinentes ao cliente e como pertinente entendo que sejam informações que irão impactar diretamente seus bolsos.

É como comprar um carro zero e não ter reservado dinheiro para transferência, seguro e até mesmo para gasolina, o que era para ser um momento feliz, pode gerar muita intranquilidade.

Mas para você não cair nesta armadilha, segue abaixo uma relação de custos que você deve se precaver, não se preocupar, pois eles irão acontecer de qualquer modo, mas estando precavido não será problema.

1. Imposto de Transmissão de Bens Imóveis (ITBI)

 

O recolhimento do ITBI é uma exigência legal para a averbação da compra e venda na matrícula do imóvel no cartório de registro de imóveis competente e esta taxa cobrada pela prefeitura sempre que alguém compra um imóvel e tem um percentual que pode variar de 2% a 3% do valor do imóvel adquirido.

É importante salientar que será cobrado pelo maior valor do imóvel, seja este o valor venal, de compra ou de avaliação.

 

2. Registro do imóvel

 

O registro do imóvel será emitido por um cartório de registro imobiliário e é o documento que irá comprova por lei quem é o proprietário do imóvel.

O valor do registro é a soma de várias taxas que variam de estado para estado, além de levarem em conta o preço do imóvel.

Você pode consultar estes valores no IRIB site do registrador de imóveis brasileiro.

Vale ressaltar que em algumas cidades também é preciso apresentar algumas certidões, portanto é bom saber de antemão quais os documentos que irá necessitar e onde deverá providenciar.

 

3. Escritura pública

Quando você faz uma compra utilizando alguma modalidade de financiamento não precisa de fazer a escritura pública, somente se comprar o imóvel à vista.

Estes valores também variam de estado para estado, mas você pode pegar estes valores com seu corretor ou no cartprio de registro de imóveis.

 

**Vale um registro neste ponto, é importante saber que existe uma lei que garante um desconto de 50% no registro e na escritura, caso o cliente esteja comprando o primeiro imóvel através do SFH e com valor máximo de R$ 500 mil.

Os cartórios não informam isto, então atenção caso seja seu primeiro imóvel e busque seus direitos.

 

4 - Custo do financiamento:  Para quem compra a vista está, claro, isento deste custo ou seja o custo do financiamento e atenção ao valor da ENTRADA, em geral não é possível financiar 100% do valor do imóvel, então o ideal é ter 20% do valor do imóvel que pretende comprar.

E referente aos custos do financiamento é preciso ficar de olho no Custo Efetivo Total (CET) do financiamento, tais como prêmios dos seguros de Morte e Invalidez Permanente (MIP) e de Danos Físicos do Imóvel (DFI), serviços administrativos, avaliação do imóvel e impostos e não apenas ás taxas de juros.

Sempre verifique todos os custos envolvidos e sempre que possível negocie a isenção ou diminuição dos valores ou percentuais.

 

5 Taxa de avaliação

 

Ao optar por fazer um financiamento a instituição financeira tem que ter certeza de que o imóvel vale o que você ou o vendedor está informando que vale e para isto é necessário uma avaliação.

Esta avaliação apesar de ser obrigatória nos casos de financiamento, também é importante quando se tem duvida sobre o valor do imóvel pois vai além do seu olhar de comprador, busca detalhes técnicos, estrutura, localização, vizinhanças, padrão construtivo e etc, e irá garantir a você e ao banco pagar o que realmente vale.

Mas tenha em mente que se for financiar, não faça antes esta avaliação, pois o banco poderá não aceitar a declaração do seu avaliador e terá que pagar novamente para o profissional que o banco escolher.

 

Dica!

 

Negocie com a instituição financeira para incluir estes custos no financiamento.

Algumas instituições financeiras aceitam “encaixar” estes valores ao valor financiado e isto facilita pois não terá desembolso a vista e sim no mesmo tempo em que contratar o seu financiamento.

Seguindo com os custos, temos;

 

 

6 Mudança do imóvel

Mudança, ah “santa mudança”, só quem fez sabe o quão chato e trabalhoso pode ser uma mudança.

Existem diversas formas e custos de se fazer uma mudança desde aquela compartilhada com os amigos e feita em etapas até aquela em que você fica só olhando os profissionais fazerem desde a embalagem até a colocação no lugar no novo lar, mas claro há custo para cada tipo.

A mais comum é o famoso carreto, onde toda parte de desmontar e embalar fica por sua conta (e muitas vezes também carregar e descarregar*rs), mas claro você pode contratar serviços de desmontagem e montagem de móveis caso não tenha esta habilidade ou seja vai do básico ao completo, então o melhor é fazer cotações e já se preparar.

Tem vários sites para cotações de valores de mudança na internet que listam transportadoras e oferecem descontos, lembrando que sempre tem a velha pick up do amigo*rs

 

7 Pequenas reformas e reparos no imóvel

Se o imóvel é novinho, terá que colocar pisos, armários, box e tudo que seja no mínimo necessário para começar a morar e se for usado certamente você irá querer colocar o seu gosto, a sua “cara” no imóvel, portanto a reforma mesmo que pequena será inevitável.

Fique atento a isto e se previna, se tiver que usar mão de obra de algum tipo de profissional, faça no mínimo 3 orçamentos.

Não esqueça que se o imóvel for usado, pode ter imprevistos, tais como encanamento entupido, torneiras pingando, pintura suja ou descascada, manchas no piso e etc.

Se for fazer você mesmo os reparos, os profissionais indicam que guarde no mínimo o dobro do valor que orçou, pois parece inacreditável, mas sempre vai faltar algo que você não lembrou de colocar no orçamento e vai acontecer no momento em que inicia o trabalho.

Ah, se o que for fazer são reparos, antes de chamar um técnico, faça uma lista, revise cada comodo e anote todos os serviços necessário, assim você economiza nas chamadas, pois não irá chamar um técnico para consertar a pia da cozinha e no dia seguinte lembrar da pia do banheiro!

 

FINALIZANDO

PLANEJAR é a palavra chave para economizar e evitar imprevistos, desde o momento da decisão da compra até o momento de mudar para seu novo lar.

Certamente o planejamento não irá evitar todos os imprevistos, mas irá minimizar o máximo possível as dores de cabeça e te dar um inicio de novo lar com muitas alegrias e motivos para sentir que fez um ótimo negócio.

Boas negociações.

Atenciosamente;

Marco Antonio e Equipe ALM

Blog: www.aoladodaestacao.com.br

Site: www.aoladodometro.com.br

CRECI-SP nº 094024

 

 


IMÓVEIS NOVOS E USADOS AO LADO DA ESTAÇÕES

 

Imóveis Até 15 Minutos (a pé) Até Alguma Estação


TODO EMPREENDEDOR PRECISA TER UM WEBSITE 


*** GRÁTIS *** CURSOS DE MARKETING DIGITAL